Benefícios de frutas secas e nuts para o controle da diabetes tipo 2

Benefícios de frutas secas e nuts para o controle da diabetes tipo 2

O consumo de frutas secas, castanhas e nozes vêm ganhando certo destaque na alimentação da população atual.

Em algumas regiões, esses alimentos já são regularmente consumidos como, por exemplo, na dieta do Mediterrâneo. Isso é explicado pelo conteúdo de macro e micronutrientes, além de compostos bioativos presentes que exercem função de proteção a doenças cardiovasculares. Porém, e em relação à diabetes? Esses alimentos podem ser benéficos para o controle da glicemia?

A resposta é sim, segundo uma revisão publicada recentemente na revista Nutrients (Nutrients 2017, 9, 673) as frutas secas e nuts através da sua composição alimentar, ou seja, nutrientes e compostos bioativos, podem ser uma excelente estratégias nutricional para esse tipo de paciente.

Um dos mecanismos de ação mais evidenciado em relação à ligação desses alimentos com o controle glicêmico é o conteúdo de fibras alimentares, especialmente fibras solúveis. Sabe-se que a presença de carboidratos complexos e essas fibras promovem um melhor esvaziamento gástrico e menor velocidade de absorção dos nutrientes, consequentemente, uma menor concentração de glicose pós prandial em comparação a alimentos com carboidratos de alto índice glicêmico e com ausência de fibras.

Controle de glicemia e secreção de insulina

Outro mecanismo também relatado pela ciência, ainda pela composição alimentar é pelo teor de micronutrientes encontrado nesses alimentos, dando destaque principalmente para o magnésio e sua respectiva ação no controle de glicemia e secreção de insulina. Além disso, vale ressaltar também a presença de outros minerais em abundancia, por exemplo, potássio, selênio e cálcio e suas relações com o poder anti-inflamatório e antioxidante.

Entrando uma pouco na parte de expressão de genes, os autores citam alguns compostos bioativos como polifenóis, resveratrol, curcúmina, como capazes de interferir na expressão de alguns genes que atuam no controle da glicemia, sendo os mais evidenciados: IL-6, RETN e SLC2A4, responsável pela codificação do GLUT4.

Portanto, através de diversos mecanismo o consumo de frutas secas e nuts pode ser benéfico para o controle glicêmico de pacientes com diabetes tipo 2. Porém, a inserção desses alimentos deve ser feita em conjunto a um planejamento dietético como um todo e individualizado, necessitando do auxilio de um nutricionista.

Para a leitura completa do artigo, no qual conta com uma tabela de composição alimentar de diversas frutas secas e nuts, acesse AQUI.

 

Autor : Pedro Perim

 

Comentário (1)

  • muito interessante esse site gostei muito do conteúdo. parabéns 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *