Efeito do consumo de amendoim em marcadores cardíacos pós prandial

Efeito do consumo de amendoim em marcadores cardíacos pós prandial

A doença cardiovascular é a principal causa de morbidade e mortalidade nos Estados Unidos.

Porém, isso não é um fator preocupante apenas para a população estadunidense. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 17 milhões de pessoas vão a óbito como consequência de algum evento cardíaco. No Brasil, cerca de 30% das mortes são registradas como causa as doenças cardiovasculares.

Com toda essa preocupação envolvendo essas doenças, a população começou a atentar-se para marcadores bioquímicos que estão relacionados a esse problema. Um dos marcadores mais mensurados é o nível sérico de triglicérides (TG), coletado após período de jejum. Um estudo que ficou marcado na história da ciência da área cardíaca foi o Women’s Health Study, que avaliou 26.509 participantes e um dos achados mais curioso foi que o TG mensurado em períodos pós prandial, cerca de 2 – 4 horas após a refeição, teve uma maior correlação com eventos cardiovasculares do que comparado à mensuração de TG em jejum.

A partir daí, começaram a serem estudados alguns compostos bioativos presentes na alimentação e seus respectivos efeitos na prevenção de determinadas doenças. As oleaginosas vêm dominando uma séria de estudos que envolvem sua ingestão com a proteção cardiovascular, porém, são poucos os que envolvem o consumo do amendoim de maneira individual.

Recentemente, foi publicado um estudo no Journal of Nutrition, que avaliou a ingestão de amendoim em participantes obesos e os efeitos em alguns marcadores pós prandial. Foram divididos em dois grupos que receberam um shake controle e um shake com 85g de amendoim.

Os resultados encontrados mostraram que após 120 e 240 minutos da ingestão dos diferentes shakes os marcadores de TG foram significativamente menor no grupo amendoim quando comparado ao grupo controle. Logo, tendo uma menor relação com eventos cardiovasculares causados pelo aumento exacerbado de TG após a refeição. Além disso, foi mensurada a função vascular de alguns vasos e o grupo que consumiu o shake de amendoim apresentou uma melhor função vascular do que o grupo controle.

O efeito do Amendoim

Alguns possíveis mecanismos de ação desse efeito do amendoim são explicados pelo conteúdo de compostos bioativos presentes, como por exemplo, resveratrol, vitamina E, magnésio e outros antioxidantes. Além disso, o amendoim é rico em arginina, que é precursor da síntese de óxido nítrico, proporcionando um efeito vasodilatador e melhorando essa função cardiovascular. Os antioxidantes presentes no amendoim favorecem a redução da secreção de citocinas pró-inflamatórias, como a IL-1 e TNF-alfa, que contribuem para o aumento do estresse oxidativo.

Porém, o amendoim é uma oleaginosa de alta densidade calórica, portanto, sua inserção na alimentação deve ser feito de maneira organizada e controlada através do auxílio de um nutricionista.

, , , , ,

Comentário (1)

  • Alessandra

    Que forma o amendoim foi oferecido no shake? crú, cozido, torrado?

    Att, Alessandra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *